Talvez você não saiba, mas eu estava precisando disso. Precisava ser limpa e de alguma forma acordada, mas você fez muito mais essa noite. A última vez que passei por esse mesmo caminho, também com as roupas molhadas, estava correndo, pisando em poças e pulando outras. A única coisa que carregava comigo era a vontade de segurar aquele sorriso pelo maior tempo que eu pudesse. 
Desta vez, apenas caminho, sentindo o frio dessa noite gelada me abraçar em uma tentativa inútil de me fazer sentir frio, já que estou muito distraída com outra coisa para poder sentir algo tão insignificante no momento como o frio. Com o passar das casas ao meu lado, minhas roupas vão ficando cada vez mais pesadas por conta da água da chuva. Mas para mim, parece que esse peso vem de outra coisa e não das gotas se acumulando na minha roupa. 
Sinto um peso, não só nas costas, mas em todo o meu corpo, isso porque esse peso está percorrendo por toda a minha estrutura física. Um peso que não se originou apenas da chuva. Além disso, sinto cada gota caindo no meu corpo, porém de uma forma diferente, como se estivessem me atravessando, algumas mais fortes que outras, entretanto, todas me acertam enquanto faço algo tão simples como caminhar. A cada impacto, em vez de me sentir mais acordada, acabo ficando mais fora desse mundo, fora de mim, como se o meu eu quisesse encontrar outro hospedeiro na tentativa de solucionar o problema. 
Eu realmente esperava que depois de ser "lavada", poderia me sentir pelo menos um pouco melhor, talvez. Contudo, ao chegar no final da rua, percebo que estou da mesma forma e a única diferença é que estou completamente molhada. Porém, confesso que a água não vinha apenas de cima, mas também de dentro de mim. Também esperava que essa situação fosse de alguma forma, um momento acolhedor, mas está difícil de pensar em algum que poderia cessar o meu interior. Talvez o que cessaria é a mesma pessoa que ocasionou isso tudo ou então, nem ela por completo. 
Agora, enquanto fecho minhas mãos com toda a força que ainda possuo, sinto algo me atingindo com muito mais força que algumas gotas fizeram, além de acertar o corpo inteiro de uma vez, me fazendo entrar em choque. De repente me vejo caída no chão, imóvel pela potência da batida. Duas luzes em cima de mim, impossibilitando minha visão. Talvez eu ainda consiga levantar após tudo isso, no entanto, quero ficar aqui, deitada no asfalto, sentindo a chuva caindo no meu rosto. Só quero ficar assim por mais algum tempo, até sentir que é a hora certa para me levantar. 
Compartilhar:
Comentários:

2012-2016 © MEUSDELIRIOS.COM - DIREITOS RESERVADOS.