Éramos como duas crianças querendo apenas se divertir, não importando o lugar ou a hora, era sempre quando batia a vontade dos dois lados ardendo em apenas desejo um pelo outro. Então não tinha a melhor parte, porque todas eram maravilhosamente gostosas de se viver, impossibilitando a escolha de apenas uma, já que cada parte cumpria o seu papel em nossa história com maestria, sem deixar a desejar. Porém, mesmo assim, o desejar sobrava, e chegava a transbordar de dentro de nós, um desejar que nunca era cessado e eu quase me arrisquei em dizer que essa era a melhor parte. 
Ah, como foi delicioso experimentar essa excitação que batia até de madrugada enquanto eu assistia um filme e comia pipoca. Porque o que importava era o encontro do calor e não o diminuir, apenas o aumentar até não caber tanto calor dentro de um organismo vivo. E como aumentamos, do nosso jeito, na nossa intensidade, no escuro da noite, sendo como fugir para apenas satisfazer o desejo do momento, porém continuando no mesmo lugar, escapando enquanto estávamos nos fundindo somente em um. 
Enquanto estávamos sendo banhados pela luz que só a noite nos proporciona, eu admirava aquela silhueta e ao mesmo tempo que a tentava decifrar com os meus olhos, eu não queria, já que descobri-la com toques me parecia uma ideia muito melhor para experimentar no momento. Apesar que algo tão maravilhoso merecia ser decifrado de todas as formas possíveis, se tornando cada vez melhor a cada descoberta. Mas com o passar do tempo, que foi bem rápido, meu foco em decidir alguma coisa se esvaeceu e contei com a vontade física, até porque ela sabe determinar muito bem o que é melhor nesses momentos. Então foi ela que decidiu todos os passos da noite até o escuro começar a se dissipar aos poucos. 
Quando batia a luz do amanhecer no vidro, o querer sedia um pouco para dar espaço para coisas não sem importância alguma, mas sem qualquer perdição, que por sinal, se tornava algo cada vez mais vicioso. E durante o tempo que olhava aquele contorno corporal incompleto por conta da luz do sol que tomava o seu lugar, não conseguia pensar em mais nada, em razão de que eu era sempre tomada pela ânsia de querer apreciar todas as partes do seu corpo, principalmente aquele sorriso de lado que me fazia ter mais vontade de fazer tudo novamente. Por isso, não me canso de lembrar em como foi maravilhoso descobrir qual seria a intensidade da perdição de todas aquelas noites passadas. 
Compartilhar:
Comentários:

2012-2016 © MEUSDELIRIOS.COM - DIREITOS RESERVADOS.