21.2.17
Como deve ser.
Sinceramente não sei como começar e honestamente não sei nem como vou acabar com tudo isso, mas ao longo dessas palavras, eu vou tentar ter a coragem de colocar o ponto final em tudo, já que eu não fui capaz de o fazer anos atrás e de imediato digo que sinto muito por isso. Só acabei de perceber que está sendo exigido há algum tempo. 
Não pensei sobre isso por horas, mas sim por anos. Anos esses que foram fundamentais para mim, e afirmo que eles vão ser difíceis de serem abatidos. E como precisei de tanto tempo assim, é possível saber que é algo longe de ser fácil. Precisei quebrar muito do meu eu interior para aguentar toda essa pressão dentro de mim, ficando toda rachada por dentro, mas não destruída totalmente. Porém de forma alguma digo que isso foi algo ruim, só que também não diria que foi bom, apenas necessário. Eu aguentei, e no processo eu não sabia muito bem por quem ou como, somente aguentei e isso foi uma das coisas que indiretamente você me mostrou: que sou forte. Mas já me passou pela cabeça que talvez você não me mostrou e sim me deixou forte por tudo isso. Só não sei qual seria a opção certa. 
Toda história precisa de um ponto final, a não ser que ela tenha continuação, então assim ela continuará com mais um parágrafo depois desse ponto final ou então com páginas à frente. No entanto, não tivemos nenhum dos dois, ficamos sem nosso pontinho para nos afirmar que tudo havia se acabado. Por conta disso, passamos dias sem perceber que estávamos esperando por algo a acontecer, mesmo não havendo possibilidade nenhuma para isso. Ainda não há. E me atrevo a dizer que nunca haverá. Mesmo dentro de tudo isso, nós seguimos em frente, eu de uma forma e você de outra e por mais que seja difícil de admitir, foi fácil para nós dois de prosseguir sem estarmos conectados, o que talvez seja um aviso de que estamos vendo tudo isso de uma forma errada. 
Nos esbarramos. Nesse meio tempo, ficamos conscientes do quanto não somos mais aqueles dois que passaram dias conversando ao telefone antes de dormir. Mudamos em todos os sentidos, e acredito que você não percebeu isso, porque talvez quem mais mudou tenha sido eu. Então com todo o orgulho, digo que não sou mais a mesma pessoa de anos atrás, apesar de você parecer o mesmo de sempre. Enquanto o sentimento se manteve intacto, todo o resto se foi e não está mais aqui, ou seja, estamos apaixonados por nossas versões de anos atrás, que já não condizem com as de hoje. Eu poderia descrever sua versão antiga, nos mínimos detalhes, mas jamais a atual e nem você poderia fazer o mesmo de mim. Já percebeu? Pensamos em viver algo que não existe mais há muito tempo. 
Então hoje, que me pareceu ser o dia mais certo para isso, é o dia em que eu coloco o ponto onde ele deve estar, no final de tudo isso. Também assumo toda a responsabilidade por esse ato. Porém das duas pessoas ligadas à essa situação, sou a única que possui força o suficiente para fazer isso, para não deixar que isso continue nessa esperança em algo inexistente. Tudo aquilo ficou onde começou e onde terminou, no passado e vai continuar lá como deve ser. E é aqui que eu coloco o nosso ponto final. 
Compartilhar:
Comentários:

2 comentários:

2012-2016 © MEUSDELIRIOS.COM - DIREITOS RESERVADOS.