Já estamos quase no fim dele, sim do ano, e parece que virou uma tradição reclamar e apenas dizer o quanto sua vida foi uma merda no ano que está se finalizando e que espera alguma mudança no novo que se aproxima. Não é algo novo que estou me deparando, mas sinto que nesse ano isso está em uma escalar maior, bem maior do que já vi, tanto que começo a me perguntar se esse ser humano que está reclamando tanto, realmente não possui nada em mãos para agradecer. Apesar disso, depois de um tempo batendo isso na cabeça, talvez seja a minha posição que esteja tão diferente e do lado oposto, me fazendo olhar tudo de uma forma diferente. 
Mas não me sinto tanto assim no lado oposto. Ao contrário do que parece, não tive de forma alguma um ano perfeito. Só estive de frente com coisas que claramente me balançaram tanto que me fizeram enxergar quando devo depositar minha preocupação, deixando coisas simples como um café que ficou doce demais, ser apenas algo que não deu certo no meu dia, como provavelmente muitas outras que não darão. Foi em uma escada de pedra de uma escola que senti meu coração bater tão forte, mas ao mesmo tempo que o senti tão sem vida, apenas por minutos, mas que depois disso, tudo à frente se tornou banal. Então talvez todo mundo tenha que passar por isso? Não acredito. Muitos irão passar por isso, porém poucos entenderão o recado da situação. 
Então, por mais que eu tenha muitas coisas à reclamar sobre o ano de 2016, prefiro ir contra a maré de desejos que o ano acabe. Foi nesse ano, sentada em uma mesa de madeira, de uma hamburgueria qualquer que pude presenciar o que é uma luta de verdade, daquelas que vai nos acompanhar até quem sabe quando. Foi nesse ano, que percebi o quanto eu já caminhei enquanto apenas jogava um jogo de cartas em meio à várias risadas, algo que até então não tinha ideia. Nesse ano maravilhoso que eu obtive tanto amor em certos momentos como quando estou sentada em uma grama enquanto bebo uma cerveja, que me pergunto seriamente se precisaria de mais alguma coisa.  Neste ano que senti anos de trabalho e dedicação terem valido a pena simplesmente por estar segurando um envelope branco com detalhes em verde nas minhas mãos. 
A diferença está em qual lado você decide olhar e pensar sobre quando estiver olhando os fogos estourando. E não vou pedir desculpas por ter escolhido um lado diferente do seu. 
Compartilhar:
Comentários:

2012-2016 © MEUSDELIRIOS.COM - DIREITOS RESERVADOS.