Desde quando Eragon encontrou Safira, ao longo das páginas, ele só vai arrecadando cada vez mais peso e responsabilidades que muitas delas, ele não sabia como lidar. Em Brisingr, muito disso se dá conta de todas as promessas feitas por Eragon, deixando a situação ainda mais difícil ao seu redor, e uma delas é ajudar seu primo a resgatar sua amada Katrina. Mas apesar disso, dentre todos os acontecimentos, o Cavaleiro de Dragão se mostra mais bravo do que jamais foi, demonstrando que a cada batalha ele está amadurecendo junto com Safira. 
Como os livros anteriores, a história não fica apenas focada em Eragon e Safira, variando para outros personagens como Roran, que muitas vezes rouba a cena, mostrando que mesmo não possuindo habilidade com a magia em suas veias, ele também têm algo especial. Já outros personagens já ficam um pouco de lado, te fazendo se perguntar a si mesmo por eles, mas não porque foram esquecidos e sim porque era necessário para o desenrolar da história. 
Assim como em Eldest, a narrativa de Paolini continua com as mesmas características de detalhamento dos acontecimentos, porém na medida certa, não deixando o ritmo da história se perder dentre tantos detalhes. Também é possível perceber o amadurecimento da escrita do autor, deixando a história muito mais vívida. 
Ao terminar o segundo livro, é impossível não ficar pensando em muitas coisas que ficam em aberto, até passando a impressão que o autor deixou mesmo alguns buracos, porém elas são todas trabalhadas em Brisingr, dando um novo ritmo para toda a história. Dos três livros lidos até agora, esse é o que mais tem ação, e o que mais faz a história desenvolver com várias coisas acontecendo em todas as raças apresentadas na trama.
Muitas coisas vão ser reveladas que são de deixar o queixo caído, muitos personagens que pareciam que não apresentariam nada a mais na história, provaram o contrário. Fora isso, nesse livro você começa a entender bem mais como tudo funciona, principalmente no mundo dos Cavaleiros de Dragões. É claro que em Eldest é apresentado muita coisa, porém nada que abra sua mente a ponto de fazê-la explodir com algo tão incrível que foi criado por Paolini. 
Dentre os três: Eragon, Eldest e Brisingr, o meu preferido até o momento é o terceiro, por ter apresentado tantas coisas que eu estava louca para saber no que iria dar, por mostrar outros lados de todos os personagens e por trabalhar muito no desenvolvimento deles. E claro, como em Eldest, quando as páginas foram acabando, só fiquei imaginando em logo adquirir o próximo livro para continuar a acompanhar o desfecho dessa história. 

Brisingr (versão americana)
Christopher Paolini
Editora Alfred A. Knoph
753 páginas
Compartilhar:
Comentários:

2012-2016 © MEUSDELIRIOS.COM - DIREITOS RESERVADOS.