19.10.15
Impactos
Eu já disse que para nos livrarmos de algo impactante, não temos que ficar arrumando alguma forma de esquecer e sim esperar, esperar que uma hora outro impacto vai bater em você, deixando o antigo para trás e é esse que vai fazer sua vida dar belos balanços. Nossa vida é feita de impactos, colisões que podem destruir nossos corpos por dentro restando apenas a carcaça por fora, dependendo da intensidade.  Há algum tempo eu fui atingida por um deles, e é bem estranho quando se é acertada pela primeira vez, nunca sabemos muito bem o que fazer, podemos ficar desnorteados e por muitas vezes, é preciso ficar um tempo parado para não sentir tanto a pressão da colisão. 
Voltando ao meu primeiro impacto. Já tinha lidado com muitas coisas, mas aquilo era totalmente novo para mim, não sabia o que fazer, só sentia a pressão em todo o meu corpo, como se eu estivesse sendo pressionada contra a parede e não pudesse me soltar. Estava ali, totalmente sem forças e a única coisa que eu podia fazer era usar a cabeça, mas nessas horas parece que ela é a última coisa que vai ter alguma utilidade. Tinha horas que eu sentia mais pressionada, faltando o ar para respirar, outra eu já me sentia mais tranquila e tinha vezes que eu quase me sentia livre. 
Isso foi me mantendo por um tempo, no mesmo lugar, via tudo mudar ao meu redor. E com o tempo eu fui sentindo que a tal pressão foi ficando cada vez mais leve, aos poucos ela foi perdendo as forças, fui sentindo meu corpo se folgar, fui recuperando o movimento dos braços e por fim das pernas. Sim, eu estava livre, e achei que não sentiria mais nada após aquilo. Mas foi aí que eu me enganei, a dor veio depois. Na hora do impacto não sentimos nada, e tudo vem posteriormente. Foi muito difícil me recuperar e achava que nunca mais ia ser a mesma, porém encontrei meu balanço e só as vezes eu sentia os estragos que tinham ficado. 
Agora que já passou um tempo, sinto de novo um baque no meu corpo e é quando eu me dou conta que fui atingida novamente, era outro impacto. Dessa vez eu tenho um pouco mais de sorte, já que por não ser a primeira vez, eu em algumas horas tenho mais ou menos uma noção de como reagir, entretanto impacto é impacto, e cada um te acerta de uma forma, cada um te deixa com um estrago diferente e uma dor distinta. Por enquanto estou presa, e não sei ainda quando vou me soltar e se algum dia me soltaria. Mas sabe uma coisa engraçada? Me enganei achando que uma colisão apagaria a outra, porque ainda consigo sentir uns traços do estrago da primeira. 
Compartilhar:
Comentários:

2012-2016 © MEUSDELIRIOS.COM - DIREITOS RESERVADOS.