Ao crescer fui assistindo filmes que passam pela vida de todo mundo na infância, filmes que te ensinam sobre várias coisas que vamos presenciar na vida e uma delas é a amizade. Uma coisa que retratada uma vez por uma música que é algo para se guardar debaixo de sete chaves, sendo assim algo de muito valor. 
Sempre fui rodeada desde a escola de amizades, algumas delas duraram por dias, outras por meses e algumas por anos. Antes, por acreditar nessa coisa valiosa, me entregava para essa amizade, mas na verdade não era se "entregar" e sim respeitar e proteger para durar para sempre. E esse sempre é o que todo mundo espera de uma amizade, como várias outras relações que possuímos com as pessoas. 
Já vivi em uma panelinha da sala, já fiz festa do pijama e várias vezes, já sai para o shopping apenas para andar e olhar garotos que eram bonitinhos, já passei cola para a panelinha toda em uma prova de matemática, já dei risada em grupo e sem saber porquê, já cabulei aula para apenas ficar comendo salgadinho e conversando perto da escola. Coisas que não sei se toda garota que teve amizades na escola já fez, mas eu fiz.
Mas do mesmo jeito que esses momentos foram se passando e foram tomados por novos, essas amizades também foram passando uma de cada vez, só que desta vez não teve nenhuma reposição. Na verdade quando você realmente sai dessa transe de achar que qualquer pessoa que entra na sua vida deve ficar para sempre, você começa a enxergar tudo de uma forma diferente e finalmente perceber que tudo tem seu tempo para acontecer. Então esse sempre vai ser interpretado de outras formas, como por exemplo que você pode se lembrar de um amigo para sempre, mas talvez esse amigo já não esteja mais na sua vida.
Não lamento por ter perdido alguma amizade de vários anos. Ela teve seus vários momentos e sou grata por eles, mas, eles acabaram. E isso já aconteceu incontáveis vezes e sempre quando acontece comigo, me faço a seguinte pergunta: O que aprendi com isso? Não temos que ficar pressionando algo para acontecer, porque tudo funciona naturalmente, e se for para durar para sempre pode ter certeza que vai, mas se não for, está bom do mesmo jeito. Vejo o que essa amizade que não faz nenhum sentido para mim me fez aprender, e é isso que levo para sempre. Talvez se você não tivesse tido tal amizade, você nunca teria aprendido o que você aprendeu com ela. 
Não devemos nos agarrar em outras pessoas para nunca mais soltar. Como uma árvore, que tem várias folhas, elas ficam presas por um tempo, mas no fim todas vão se soltar, talvez ao mesmo tempo ou uma de cada vez. O que quero dizer é que não devemos apreciar as folhas no chão, já caídas e sem vida, e sim contemplá-las enquanto estão no tronco, lindas, verdes e cheias de vida. 
Compartilhar:
Comentários:

Um comentário:

  1. Lindo Tati, você me fez enxergar um novo ponto de vista das amizades: Quando elas acabam e que sim é possível superar, mas também que não existe nada melhor do que quando elas ainda estão presentes com a gente e que devemos valorizar as que nos fazem! Ah e parabéns pelo seu blog, ele é muito fofo e você também.

    Beijos.
    http://mdiariosecreto.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

2012-2016 © MEUSDELIRIOS.COM - DIREITOS RESERVADOS.