Quando me olho no espelho, consigo ver todos os detalhes da minha parte exterior, os olhos, como meus cabelos estão amarrados em um coque quando estou em casa, o formato do meu rosto, meu sorriso. Mas minha parte interior, não consigo ver, fica escondida e parece que não quer ser incomodada. Ela não se mostra através de formas, como a exterior, mas resolve aparecer em atos, convivências da minha vida. 
Sinceramente, não entendo esse interior que tem tanto à mostrar, mas que parece ser tão pequeno ao mesmo tempo, por poder caber dentro de mim.
Não sou uma garota que fala pelos cotovelos, que diz que te ama o tempo todo, não me expresso por palavras. Converso, claro, mas sobre outras coisas, como por exemplo um vídeo engraçado, uma música nova. Em relação a sentimentos é diferente, são os atos que se expressam por sua vez. Minha forma de dizer "Eu te amo", é perguntar como foi o seu dia, querer te dar um abraço por nada, olhar para o seu rosto e sorrir, sem nenhum motivo aparente, querer estar ao seu lado, quando puder, para aproveitar o pouco tempo. 
Porém, quando me aborreço, o meu interior resolver me surpreender de uma forma inesperada. Porque sou muito apegada as pessoas que estão ao meu lado, mesmo que as vezes pode não parecer. Entretanto se alguém me machuca, e sinto que isso foi realmente doloroso, me fecho. Posso ter amado essa pessoa um dia, mas se me machucar, vou me afastar como se fosse um estranho para mim, mas não como um estranho que passa na rua e que você olha nos olhos e depois vira o rosto, ou olha para baixo. Um estranho com desprezo, porque nem olhar mais nos olhos vou conseguir. 
E é esse interior que está em ação, por isso não consigo entender essa minha parte, de se desapegar tão rápido de uma pessoa, e pode parecer estranho, mas gosto disso. Porque quando estamos magoados por causa de uma pessoa, é nessa hora que queremos esquece-las e fingir que nunca existiram, e é exatamente o que acontece comigo. 
Acredito ser porque quando as lágrimas escorrem pelos meus olhos, não ajo pela emoção, e sim pela razão que é a melhor escolha. Coloco na balança o que será melhor para minha pessoa, e se o peso estiver de acordo com meus conceitos, não penso duas vezes. 
Tenho 18 anos, já passei por muitas experiências, mas ainda não consigo enxergar todo o meu interior quando me olho no espelho, me surpreendo a cada vez que acordo e me levanto da cama para começar um novo dia. 
Compartilhar:
Comentários:

Um comentário:

  1. Princesa, tem selinho pra vc no meu blog!

    http://encantosdeumagarota.blogspot.com.br/p/selinhos.html

    ResponderExcluir

2012-2016 © MEUSDELIRIOS.COM - DIREITOS RESERVADOS.